Divulgação TERRAGRITA
Divulgação TERRAGRITA
press to zoom
Detalhe mesa de trabalho do artista na exposição TERRAGRITA
Detalhe mesa de trabalho do artista na exposição TERRAGRITA
press to zoom
Obra visual da exposição TERRAGRITA
Obra visual da exposição TERRAGRITA
press to zoom
Detalhe da obra visual TERRAGRITA
Detalhe da obra visual TERRAGRITA
press to zoom
Obra visual da exposição TERRAGRITA
Obra visual da exposição TERRAGRITA
press to zoom
Obra visual da exposição TERRAGRITA
Obra visual da exposição TERRAGRITA
press to zoom
Obra visual da exposição TERRAGRITA
Obra visual da exposição TERRAGRITA
press to zoom
Instalação TERRAGRITA
Instalação TERRAGRITA
press to zoom
Instalação TERRAGRITA
Instalação TERRAGRITA
press to zoom

A exposição TERRAGRITA, do artista pelotense e ativista do movimento negro PAULO CORRÊA ocorreu na Galeria ECARTA, em Porto Alegre/RS.

 

A mostra reúne obras em pintura, fotografia, instalação e vídeo que simbolizam histórias de sobrevivência e evocam a força e a resistência da ancestralidade afro-brasileira. 

O artista tem 25 anos de trajetória em projetos que dão visibilidade à comunidade negra e em seus trabalhos, a arte pode ser percebida como um fazer humano ligada às manifestações culturais que são representadas de diversas formas. Entre as possibilidades de reflexão está a capacidade de desenvolver um olhar para as mudanças de comportamento emergentes na sociedade, impulsionado pelos processos de percepção, sensibilidade, cognição, expressão e criação.


De acordo com o artista, que vem sendo homenageado por diversas instituições públicas pela contribuição à cultura negra e é titular no Colegiado de Culturas Populares pelo Conselho Nacional de Política Cultural, a obra surge da necessidade de observar o meio que cerca as pessoas para expor a urgência de igualdade social, respeito e justiça pela experiência libertadora que compartilha pensamentos e ideais.

A curadoria foi de André Venzon e Sabrina Stephanou.